Criada em 28/01/1973

Av. Nereu Ramos, s/nº – Centro
CEP 88 380-000 – Balneário Piçarras – SC
Fone: (47) 3345 0387
E-mail: [email protected]

Pároco: Pe. Luiz Carlos de Oliveira, C.M.

Diácono
Diác. Aristide Caldeira Soares

Comunidades
1. Nossa Senhora de Fátima
2. Sagrado Coração de Jesus
3. Nossa Senhora da Imaculada Conceição

 

Histórico: Criada em 28 de janeiro de 1973. Possui 15 comunidades: Matriz Nossa Senhora da Paz e as Capelas: São Roque (Rio Novo, 1930), São Brás (1940), Nossa Senhora das Graças (Lagoa, 1945, Santa Terezinha (Nova Descoberta, 1985), Cristo Rei (Bela Vista, 1986), Nossa Senhora Aparecida (Medeirinhos,1986), Imaculada Conceição (1986), Sagrado Coração de Jesus (Rio Furado, 1986), Santa Catarina (Morro Alto, Santo Antônio. Comunidades em formação: São Francisco de Assis, Morretes), Espírito Santo, Candeias II, Loteamento Senir Maria, Rio Furado, Lagoa de Baixo, Lagoa.

A história de PIçarras remonta aos idos de 1935, quando, a 24 de abril, um despacho da Cúria Metropolitana, atendendo a requerimento assinado por Mons. Francisco Gisberts, Pároco do Santíssimo Sacramento, de Itajaí, concedia licença para se construir naquela localidade, uma Capela em honra a São Pedro Apóstolo.

Somente em 1942, contudo, é que foram dados os andamentos para construção da referida igreja. Não obstante já estar quase concluído o projeto o projeto da igreja, pessoas que vinham veranear naquele balneário apresentaram sugestão de se construir ali um templo em estilo colonial, tendo inclusive apresentado um anteprojeto. Encaminhado ao Arcebispo Metropolitano de Florianópolis, foi o dito projeto, de pronto, aprovado e a obra logo foi iniciada.

Em fins de 1959, por autorização da Cúria Metropolitana de Florianópolis então Pároco de Nossa ]senhora da Penha. Pe. Armando Cesar Ghislandi, fixa residência na casa de uma família, em PIçarras.

Um Decreto da Cúria Metropolitana , assinado a 24 de janeiro de 1973 cria a Paróquia de Nossa Senhora da Paz, sendo meado seu primeiro Pároco, P>e. Antônio Boos, que vinha exercendo as funções de Vigário Paroquial de Nossa Senhora da Penha. Pe. Antônio ficou à frente da Paróquia até seu falecimento, em06 de abril de 1982, quando foi nomeado para substituí-lo Mons. Vendelino Hobold que, já idoso, residia em sua casa, na Praia de Armação, Penha.

Em 28 de dezembro de 1993foi nomeado Pároco Pe. Gilberto Mafra. Doente, não teve condições de enfrentar os trabalhos pastorais, sendo, então, já a 24 de março do ano seguinte, nomeado Pe. Celso Antônio Marchetti, Administrador Paroquial. Pe. Celso, por provisão da Cúria Metropolitana, datada de 28 de dezembro de 1994, foi confirmado no cargo de Pároco. (Cf Arquivo histórlco Eclesiástico de Santa Catarina, Breve histórico das Paróquias da Arquidiocese de Florianópolis, p. 12).

Párocos:  Pe. Antônio Boos (1973), Mons. Vendelino Hobold (1982); Pe. Artur Betti (1986); Pe. Gilberto Mafra (1994); Administrador: Pe. Celso Antônio Marchetti (1994); Pe. Celso Antônio Marchetti (1995).

(Bohn, Pe. Antôno Francisco, Diocese de Blumenau – HIstórico, Paróquias e Comunidades, Gráfica e Editora 3 de maio, Blumenau, 2002, p. 151)

 

Deixe um comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

Postar Comentário